TLS

TLS – Integração entre as metodologias da TOC, Lean Manufacturing e Six Sigma

O cenário geral das empresas, em um mundo globalizado, não poderia ser muito diferente do que as altas pressões competitivas, exigindo dos responsáveis industriais ações de redução de custo e níveis de serviço exemplares.

Neste ambiente hostil, não é possível simplesmente passar a responsabilidade pela não competitividade para os fornecedores, por exemplo, forçando-os a reduzirem custos. É necessário olhar para dentro de casa e buscar otimizações e inovações.

Programas como o Lean Manufacturing e Six Sigma são então amplamente implantados, os quais movimentam as pessoas para um novo olhar de melhoria, indicando oportunidades das mais variadas e em todos os processos.

Apesar dos bons resultados que estes programas geram, normalmente são necessários vários meses se não alguns anos para que resultados significativos apareçam.

Por outro lado, a metodologia da Teoria das Restrições (TOC) possui como característica fundamental a grande velocidade de obtenção dos resultados globais, pelo simples fato da objetividade e foco de atuação, seu ponto marcante e característico.

Sendo assim, ao contrário do que muitos pensam, as três metodologias não são conflitantes e sim complementares, desde que a abordagem de utilização tenha a premissa de catalisar o que é de melhor em cada uma e utilizá-las no momento adequado na busca de “Resultados Globais” e não em “Resultados Locais”.

Esta premissa possibilitou a junção das metodologias desenvolvendo-se o chamado TLS (Teoria das Restrições, Lean Manufacturing e Six Sigma), conforme ilustrado abaixo.

TLS

A experiência tem demonstrado que a aplicação das ferramentas da Teoria das Restrições, sendo a espinha dorsal de um programa de melhoria de processos, traz o foco adequado para a aplicação do Lean Manufacturing e do Six Sigma, transformando-se em uma metodologia poderosa, capaz de gerar resultados exponenciais.